LaboratórioBIG – Formaldeído, saiba tudo a respeito 10

Hoje o post aqui na coluna LaboratórioBIG é sobre um assunto polêmico e que muitos consumidores ainda têm dúvida: qual a função do formaldeído nos produtos de beleza. Vamos explicar como ele funciona e os cuidados que temos que ter em sua utilização.

A Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária – já proibiu o uso do formol ou formaldeído como ativo nos produtos para alisamento de cabelos. A substância também não pode mais compor as fórmulas de produtos saneantes. No Brasil, a Anvisa permite sua aplicação nos limites máximos de 0,1% para os produtos de higiene oral, 0,2% nos demais itens de higiene e cosméticos e 5% como endurecedor de unhas. Uma decisão mais recente (RDC 36/09), aprovada pela Diretoria Colegiada da Anvisa, publicada em junho, proíbe a venda do formol em farmácias, supermercados, lojas e outros estabelecimentos. A medida foi tomada para coibir o uso do produto em procedimentos estéticos, como é o caso da escova progressiva.

O formaldeído é uma substância que compõe o Formol, solução utilizada nos produtos para escova progressiva e outros métodos de alisamento capilar artificial. Em cosméticos, o formaldeído é usado como conservante (limite máximo permitido: 0,2% no total do produto) e como agente endurecedor de unhas (limite máximo permitido: 5%).

Quando utilizado em concentrações maiores do que as sugeridas acima, o formaldeído é muito prejudicial à saúde. É irritante à pele e aos olhos: podendo causar alergias, dores, vermelhidão, queimaduras em contato com a pele e visão embaraçada quando em contato com os olhos. Além disso, quando inalado, pode levar à falta de ar, tosse, irritação no nariz, dor de garganta e ao câncer no aparelho respiratório. O contato repetido ou prolongado com essa substância pode causar reação alérgica, debilitação da visão e aumento do fígado.

O Fortalecedor de Unhas da Big Universo tem concentração de formaldeído de 1%, dentro da nossa  legislação que permite o uso de até 5% para essa finalidade. Já a resina utilizada na composição dos esmaltes não tem essa finalidade fortalecedora e não recomendamos o uso por pessoas alérgicas a substância,  mesmo a concentração de formaldeído sendo baixíssima nas nossas resinas.

Outro perigo para ficar de olho é a manipulação de formol dentro dos salões de beleza. Existem muitas manicures que adulteram produtos (adicionam o formol ao vidro de esmalte). Além de  isso ser ilegal traz um enorme risco à saude. Portanto, fique de olho e se sentir necessidade, leve seus esmaltes de casa. É a melhor forma para garantir a qualidade do produto e preservar sua saúde.

Post to Twitter